Busca de Diários Oficiais


Diário RS - Legislativo

DIARIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Porto Alegre, sexta-feira, 8 de novembro de 2019.

PRO 99

tambem aqueles que estao em todo o Brasil. Em Brasilia acabamos nao conseguindo resolver nada, tem sim
uma deputada surda ela quer apoiar mas, na verdade, nao conseguimos isso e aqui no Rio Grande do Sul
quem pode tomar essa causa como para si? Muitos vieram de Caxias, Santa Maria, Santa Rosa, muitos sao
de outros lugar e estao desempregados, na verdade, a maior parte da familia depende tambem, a mae e
doente nao tem medicamento e esse surdo acaba trabalhando e dando esse apoio financeiro para a familia.
Entao, gostaria que voces tivessem um pouquinho de empatia com a causa porque e muito serio esse
momento que a Feneis esta vivendo, muitos convenios foram cortados e eu nao tenho o que responder para
esses surdos diante do desemprego. O passe livre e dificil, a saude e dificil, interprete em hospitais nos nao
temos, interprete nos nao temos em lugar nenhum, e se um surdo vem a falecer por algum problema de
medicacao errada dentro dos hospitais, se esse surdo chega a obito quem e que vai responder por esse
surdo? Gente e muito serio se voce nao conhece esse assunto da comunidade surda, essa manha e um
momento bem importante para essas trocas. Nos viemos aqui pedindo convenios, nos estamos aqui pedindo
central de interpretes, nos estamos aqui pedindo esse apoio, e como se nos jogassem em prisoes sem
comunicacao e sem nenhum tipo de valorizacao ou como se a comunidade surda fosse invisivel. Eu gostaria
de saber como nos vamos continuar? Como vai acontecer isso? Nos precisamos de professores, os
professores que tem ai fora, formados para ensinar Libras, muitas vezes, sao ouvintes nao tem a cultura e
nao tem o conhecimento da comunidade surda. Entao hoje eu vim neste lugar nao somente para promessas e
tambem no momento de voto a comunidade surda tambem apoiou voces pedindo voto. Nos tambem fizemos
uma mobilizacao, agora nos estamos aqui pedindo que o nosso voto tambem seja valorizado e que venham
respostas que vao dar frutos reais para o futuro e estou aqui com uma expectativa muito boa. O presidente
Sergio Peres falou da reclamacao do fato que ocorreu em Caxias do Sul onde, num supermercado, um
funcionario surdo foi amarrado e agredido no local de trabalho, entao isso vai ter que ser apurado, qual foi o
supermercado e vamos partir para cima. Informo tambem que esta Comissao ja acordou e deliberou para
pedir a Mesa Diretora que tivesse interprete de libras para as comissoes, e, principalmente, para a Comissao
de Cidadania e Direitos Humanos e isto eu ja solicitei a Mesa. Tambem buscam o apoio desta Comissao de
Cidadania e Diretos Humanos com relacao ao fechamento da CORAG onde trabalhavam vinte e tres
funcionarios surdos que foram demitidos. Quero lembrar que este fato ocorreu na gestao Jose Ivo Sartori e
que eu so votei para o fechamento da Corag dentro de um acordo, com Gabriel Souza lider do governo e
com proprio Carlos Burigo que era Secretario de Governo, que o governo iria repor para a Procergs ou para
outro departamento. Depois das demissoes, fui procurado pelos representantes dos surdos e tive uma
reuniao com o Fabio Branco, entao na Casa Civil, que me disse que nao sabia do acordo do Gabriel Souza e
que iria resolver o problema do convenio, portanto a minha parte eu fiz, quem nao cumpriu foi o executivo.
Ontem falei com o deputado Fabio Branco para saber porque o convenio nao fora feito e ele me disse que
acreditava que havia sido encaminhado, mas que iria verificar. Agora vou cobrar novamente para saber
porque o Convenio com a Feneis nao foi renovado, se houve problemas com a Feneis ou outro empecilho
qualquer. Eu acho esta luta mais do que justa e ja manifestei isto varias vezes da tribuna. Eu ate gostaria que
um dia os parlamentares pudessem participar de uma festa da Feneis onde estive em um final de ano, com o
deputado federal Carlos Gomes, onde 280 pessoas se reunem e eles fazem desfile e jantar e a gente que nao
e surdo fisicamente, mas, muitas vezes, e surdo para nao ouvir a voz do outro e atender, a gente ficava la
como dois tontos, todo mundo rindo e se divertindo e nos nao entendiamos nada. Nos estavamos no mundo
deles e nos pudemos ver o que e a pessoa estar fora da comunicacao, eles todos se comunicando e foi muito
bacana. Lembro o primeiro vereador surdo que tivemos em Caxias do Sul, vereador Tibirica, que apresentou
varios projetos tendo aprovado alguns. Destaco que encaminhamos nesta Casa para que haja na Policia e em
todos os orgaos publicos para que os praticantes de Libras possam fazer parte. A deputada Any Ortiz
destacou que, desde a epoca de vereadora em Porto Alegre, eu abraco a causa dos surdos porque nos,
ouvintes, a gente nao consegue ter a dimensao das dificuldades que o surdo tem em coisas tao basicas do dia
a dia. Eu lembro de um episodio em que encontrei o Fabricio e ele tinha estacionado o carro na frente do
hospital e o seu carro foi guinchado. Ele chegou para pegar o carro para sair e o carro nao estava mais no
local e ele nao sabia o que tinha acontecido e nao tinha ninguem que conseguisse explicar para ele, naquele
momento, o que tinha acontecido e ele estava desesperado, correndo na recepcao, de um lado para o outro,
porque nao sabia se tinha sido roubado ou o que tinha acontecido. Eu tambem acompanhei a gestacao de
uma amiga minha surda, a Maria Luiza, que, para poder fazer as consultas, ela tinha que ir com a irma dela,


Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.