Busca de Diários Oficiais


Diário RS - Legislativo

DIARIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Porto Alegre, sexta-feira, 8 de novembro de 2019.

PRO 125

O SR. PRESIDENTE LUIS AUGUSTO LARA (PTB)  Por solicitacao do deputado Edegar
Pretto, concedo a palavra a S. Exa. para uma comunicacao de lider.

O SR. EDEGAR PRETTO (PT)  Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados:
Ao ocupar a tribuna em nome da bancada do Partido dos Trabalhadores, saudo a todos os visitantes
que estao nas galerias, acompanhando a nossa sessao plenaria.
Quero comentar sobre o fato que ocorreu, na semana passada, que proporcionou a unidade politica
de varias bancadas para um objetivo comum, alem das nossas divergencias ideologicas, de partidos politicos,
de visoes de mundo, inclusive sobre economia. Mas produzimos aqui o entendimento de uma parte
importante dos membros da Assembleia Legislativa para defender a posicao contraria a venda das acoes do
Banrisul.
Na quinta-feira, dia 19, vespera da data relativa a Revolucao Farroupilha, estavamos na Comissao
de Defesa do Consumidor quando o deputado Sebastiao Melo propos, ja que nao tinhamos outra pauta,
debatermos de maneira um pouco mais aprofundada, digamos assim, a questao da venda das acoes do
Banrisul. No nosso entendimento e no entendimento de quem estava la  e, depois, na producao do
manifesto, que varios dos senhores puderam assinar , ficou claro que se tratava da dilapidacao do maior
ativo do Rio Grande do Sul, que e o nosso Banrisul.
A movimentacao que a Casa fez, essa unidade madura, e tambem pela complexidade do mercado, a
forma como essas acoes foram colocadas no mercado  ao nosso ver, de maneira acodada , fez com que
esse fosse um pessimo negocio nao so para o banco, mas para a economia do nosso Estado. Estima-se que o
rombo, a perda de recursos seria em torno de 2 bilhoes de reais se esse negocio se concretizasse.
Queridos colegas deputados e deputadas, o Banrisul e um banco publico, ele tem o DNA da
economia do Rio Grande do Sul. O banco publico do nosso Estado possui agencias em praticamente todos
os Municipios. Conhece as economias locais, a economia regional e principalmente a economia do nosso Rio
Grande do Sul.
A carteira de credito do Banrisul nao pode ser desprezada. E ela que financia o setor produtivo do
nosso Rio Grande do Sul, que, se bem colocado politicamente, defendendo as regras do Banco Central, que
regra o nosso Banrisul e todos os bancos, pode ser um impulsionador da economia gaucha.
Um exemplo: no governo Tarso Genro, comparado com o final do governo Yeda Crusius, a
carteira de credito do Banrisul fechou o ano 2010 com emprestimo a longo prazo, para o setor produtivo, de
17 bilhoes. Quando se encerrou 2014, o financiamento na regra sendo pago, 31 bilhoes foi o montante de
recursos emprestados do Banrisul para o setor produtivo.
As privatizacoes que ocorreram no Rio Grande do Sul, colegas deputados, ja nos provaram que nao
e a melhor saida para a nossa economia. Se existe, hoje, na Constituicao, a obrigatoriedade do plebiscito, de
consultar os gauchos e gauchas se concordam ou nao com a venda de uma empresa publica, um patrimonio
nosso, isso nao e por acaso: foi fruto da ma sucedida venda do patrimonio publico, feita no governo Antonio
Britto.
Alias, foi um discurso muito semelhante ao que se faz agora, com a mesma argumentacao de que
nao havia dinheiro para pagar a folha dos servidores, para a saude, para a educacao, para a seguranca,
dizendo que nao havia saida a nao ser a privatizacao.


Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.