Busca de Diários Oficiais


Diário RS - Legislativo

DIARIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Porto Alegre, sexta-feira, 8 de novembro de 2019.

PRO 94

de cadeia. Proximo inscrito o Deputado Edson Brum. Bom dia Presidente e demais colegas, voces
conhecem a nossa atuacao aqui na Casa em relacao a cadeia produtiva do leite, como varias cadeias
produtivas se custa muito para uni-las, nos levamos anos para conseguir unir essa cadeia! E foi durante o
governo de Tarso Genro, com o Secretario Luis Fernando Mainardi, que varios parlamentares conseguiram
trabalhar um projeto de criacao do Instituto Gaucho do Leite, unindo todas as cadeias do pequeno ao
grande, inclusive a FARSUL que tem somente 4% da producao de leite do estado, 96% da producao de leite
no Estado esta na agricultura familiar. Reunimos todos: SINDILAT, Associacao dos Pequenos Laticinios,
Cooperativas, OCERGS, e aprovamos por unanimidade um projeto aqui nesta casa! Que foi depois
desvirtuado por interesses politicos, eleitorais, partidarios e por interesse financeiro! Esta e a realidade. E
importante registrar que quem esta desestruturando a cadeia produtiva do leite no Estado do Rio Grande do
Sul sao empresas associadas ao SINDILAT, e ja disse isso na presenca do SINDILAT! Eu nao participo
mais de nenhum evento do SINDILAT! Eles querem agradar com jantar no final do ano, nao vou mais!
Porque eles fazem um mal para o Estado do Rio Grande do Sul, que nos ultimos 3 anos 25 mil familias
deixaram de produzir leite, exatamente porque industrias associadas ao SINDILAT, na hora da safra no
estado, eles vao no Uruguai e importam leite para puxar o preco do leite do colono para baixo! E o pior,
muito dessas empresas tem FUNDOPEM e ganharam 100, 150 milhoes de reais de incentivo do Estado do
Rio Grande do Sul, aliviam o seu caixa e compram leite no Uruguai. Eu tenho um projeto de lei que esta
com o Deputado Adolfo Brito para relatar, na Comissao de Financas, que e exatamente proibindo a industria
que pega o FUNDOPEM de comprar fora do estado, se no estado tem o produto excedente que e o caso do
leite. Mas tem resistencia, a FIERGS entrou em jogo fazendo pressao nos parlamentares, inclusive tratou
comigo, porque ela acha que isso tambem atinge outros setores, e estou esperando a mais de 40 dias por
parte da FIERGS que eles pediram que se fizesse algumas emendas para proteger setores que nao tem
producao no estado, mas ate agora estou esperando. Esse setor do leite nao e somente uma questao
financeira, como e tratado pelo SINDILAT, e como e tratado pelas multinacionais que vieram para o estado
e estao usando do recurso, ganhando subsidios e liquidando com a nossa cadeia produtiva do leite. Fui
informado que vao criar o Instituto Brasileiro do Leite! Nao tera o meu apoio!! E para concluir nada que
obrigue a contribuicao mais! Porque o que fizeram desvirtuando todo o projeto do IGL, 1 Real vem da
industria que toma do produtor de leite porque e repasse, quem paga e o leiteiro! E outro o governo do
estado, e agora 70% desse dinheiro vai para as empresas para fazer assistencia tecnica! Estao liquidando
com a EMATER! Essa verba do governo poderia ir para a EMATER! Porque esta indo para essas
empresas? Entao, ha um desvirtuamento, um estado quebrado ainda colocando dinheiro nas industrias.
Muito obrigado. Dando continuidade, o Deputado Adolfo Brito faz uso da palavra: A respeito do projeto
citado pelo Deputado Edson Brum, gostaria de dizer que em outra Comissao onde fiquei com a incumbencia
de relatar este projeto, nos sentimos que ele nao seria aprovado e por isso procuramos o Deputado Edson
Brum, colocamos a situacao e ele ficou de acertar novas bases para tentar viabilizar um projeto que fosse
realmente positivo para o Estado do Rio Grande do Sul. No momento em que o deputado devolver estas
questoes que estao sendo discutidas com a FIERGS nos voltaremos com o nosso parecer e daremos
conhecimento para esta Comissao. Dando continuidade com a palavra, fala o Deputado Ernani Polo: Bom
dia Presidente e demais colegas. Com relacao a proposta de audiencia publica do Deputado Ze Nunes
entendo que e oportuno e necessario fazer esse debate. Tive a oportunidade de estar como Secretario da
Agricultura e acompanhar muito este tema tentando exatamente buscar a convergencia, fizemos diversos
encontros e nao foi possivel naquilo que nos gostariamos e muitos colegas parlamentares participando em
determinados momentos, e a intencao da criacao foi de dar esse carater de unidade, e talvez alguns pontos
acabaram desvirtuando por varios interesses, como foi dito aqui, e acabaram nao tendo essa uniao que e
importante para o setor. Sempre fiz referencias a outras areas aqui do estado que tem um trabalho e uma
atuacao diferente em termos de trabalho integrado como e o caso da suinocultura, avicultura, que tem uma
realidade diferente e caracteristicas diferentes, mas que tem uma acao muito mais integrada e muito mais
unida do que o setor leiteiro. Hoje nos temos uma dependencia muito grande do mercado brasileiro para o
consumo do nosso leite e isso gera muitos problemas em determinados momentos, quase que em todos os
anos, momento de crise, de dificuldades quando diminuem o consumo esta com o problema agravado
porque nos nao exportamos, e a busca por exportacao e sim um trabalho de governo, mas tambem muito do
setor privado, das industrias, como suinos e aves fizeram no passado. Entao, temos que abrir possibilidades


Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.