Busca de Diários Oficiais


Diário PR - Com. Ind. e Serviços

de receber o pagamento e estabelecido. A Companhia classifica juros recebidos e dividendos
e juros sobre capital proprio recebidos como fluxos de caixa das atividades de investimento.
A taxa de juros efetiva e a taxa que desconta exatamente os pagamentos ou recebimentos em
caixa futuros estimados ao longo da vida esperada do instrumento financeiro ao:
 valor contabil bruto do ativo financeiro; ou
 ao custo amortizado do passivo financeiro.
No calculo da receita ou da despesa de juros, a taxa de juros efetiva incide sobre o valor
contabil bruto do ativo (quando o ativo nao estiver com problemas de recuperacao) ou ao
custo amortizado do passivo. No entanto, a receita de juros e calculada por meio da aplicacao
da taxa de juros efetiva ao custo amortizado do ativo financeiro que apresenta problemas de
recuperacao depois do reconhecimento inicial. Caso o ativo nao esteja mais com problemas de
recuperacao, o calculo da receita de juros volta a ser feito com base no valor bruto.
f. Imposto de renda e contribuicao social
O imposto de renda e a contribuicao social do exercicio corrente e diferido sao calculados com
base nas aliquotas de 15%, acrescidas do adicional de 10% sobre o lucro tributavel excedente
de R$ 240 para imposto de renda e 9% sobre o lucro tributavel para contribuicao social sobre o
lucro liquido, e consideram a compensacao de prejuizos fiscais e base negativa de contribuicao
social, limitada a 30% do lucro do exercicio.
A despesa com imposto de renda e contribuicao social compreende os impostos de renda
e contribuicao social correntes e diferidos. O imposto corrente e o imposto diferido sao
reconhecidos no resultado a menos que estejam relacionados a combinacao de negocios ou
a itens diretamente reconhecidos no patrimonio liquido ou em outros resultados abrangentes.
(i) Despesas de imposto de renda e contribuicao social corrente
A despesa de imposto corrente e o imposto a pagar ou a receber estimado sobre o lucro
ou prejuizo tributavel do exercicio e qualquer ajuste aos impostos a pagar com relacao aos
exercicios anteriores. O montante dos impostos correntes a pagar ou a receber e reconhecido no
balanco patrimonial como ativo ou passivo fiscal pela melhor estimativa do valor esperado dos
impostos a serem pagos ou recebidos que reflete as incertezas relacionadas a sua apuracao,
se houver. Ele e mensurado com base nas taxas de impostos decretadas na data do balanco.
Os ativos e passivos fiscais correntes sao compensados somente se certos criterios forem
atendidos.
(ii) Despesas de imposto de renda e contribuicao social diferido
Ativos e passivos fiscais diferidos sao reconhecidos com relacao as diferencas temporarias
entre os valores contabeis de ativos e passivos para fins de demonstracoes financeiras e os
usados para fins de tributacao. As mudancas dos ativos e passivos fiscais diferidos no exercicio
sao reconhecidas como despesa de imposto de renda e contribuicao social diferida. O imposto
diferido nao e reconhecido para:
 Diferencas temporarias sobre o reconhecimento inicial de ativos e passivos em uma transacao
que nao seja uma combinacao de negocios e que nao afete nem o lucro ou prejuizo tributavel
nem o resultado contabil;
 Diferencas temporarias relacionadas a investimentos em controladas, coligadas e
empreendimentos sob controle conjunto, na extensao que a Companhia e suas controladas
sejam capazes de controlar o momento da reversao da diferenca temporaria e seja provavel que
a diferenca temporaria nao sera revertida em futuro previsivel; e
 Diferencas temporarias tributaveis decorrentes do reconhecimento inicial de agio.
Um ativo fiscal diferido e reconhecido em relacao aos prejuizos fiscais e diferencas temporarias
dedutiveis nao utilizados, na extensao em que seja provavel que lucros tributaveis futuros estarao
disponiveis, contra os quais serao utilizados. Os lucros tributaveis futuros sao determinados
com base na reversao de diferencas temporarias tributaveis relevantes. Se o montante das
diferencas temporarias tributaveis for insuficiente para reconhecer integralmente um ativo fiscal
diferido, serao considerados os lucros tributaveis futuros, ajustados para as reversoes das
diferencas temporarias existentes, com base nos planos de negocios da controladora e de suas
subsidiarias individualmente.
Ativos fiscais diferidos sao revisados a cada data de balanco e sao reduzidos na extensao em
que sua realizacao nao seja mais provavel.
Ativos e passivos fiscais diferidos sao mensurados com base nas aliquotas que se espera
aplicar as diferencas temporarias quando elas forem revertidas, baseando-se nas aliquotas que
foram decretadas ate a data do balanco.
A mensuracao dos ativos e passivos fiscais diferidos reflete as consequencias tributarias
decorrentes da maneira sob a qual a Companhia e suas controladas esperam recuperar ou
liquidar seus ativos e passivos.
Ativos e passivos fiscais diferidos sao compensados somente se certos criterios forem atendidos.
g. Caixa e equivalentes a caixa
Incluem os saldos em caixa e contas-correntes (depositos bancarios a vista) e aplicacoes
financeiras em instituicoes financeiras, considerados de liquidez imediata. As aplicacoes
financeiras estao atualizadas pelos rendimentos auferidos ate a data da demonstracao
financeira.
h. Contas a receber de clientes e provisao para perdas esperadas
As contas a receber de clientes sao registradas pelo valor faturado, ajustado ao valor presente,
quando aplicavel, incluindo os respectivos impostos diretos de responsabilidade tributaria da
Companhia e suas controladas.
A provisao para perdas esperadas foi constituida em montante considerado suficiente pela
Administracao para fazer face as eventuais perdas na realizacao dos creditos. Os criterios e
as premissas utilizados pela Administracao, bem como a movimentacao da provisao, estao
descritos na nota explicativa no 11 - Contas a receber de clientes.
i. Imobilizado
(i) Reconhecimento e mensuracao
Itens do imobilizado sao mensurados pelo custo historico de aquisicao ou construcao, que inclui
os custos de emprestimos capitalizados, deduzido de depreciacao acumulada e quaisquer
perdas acumuladas de reducao ao valor recuperavel (impairment), quando aplicavel.
Quando partes significativas de um item do imobilizado tem diferentes vidas uteis, elas sao
registradas como itens separados (componentes principais) de imobilizado.
Quaisquer ganhos e perdas na alienacao de um item do imobilizado sao reconhecidos no
resultado.
(ii) Custos subsequentes
Custos subsequentes sao capitalizados apenas quando e provavel que beneficios economicos
futuros associados com os gastos serao auferidos pela Companhia e suas controladas.
(iii) Depreciacao
A depreciacao e calculada para amortizar o custo de itens do ativo imobilizado, liquido de
seus valores residuais estimados, utilizando o metodo linear baseado na vida util estimada
dos itens. A depreciacao e reconhecida no resultado. Ativos arrendados sao depreciados pelo
menor periodo entre a vida util estimada do bem e o prazo do contrato, a nao ser que seja
razoavelmente certo que a Companhia e suas controladas obterao a propriedade do bem ao
final do prazo de arrendamento. Terrenos nao sao depreciados.
As vidas uteis estimadas do ativo imobilizado sao as seguintes:
Edificacoes e benfeitorias
20 - 25 anos
Equipamentos e guindastes
5 - 15 anos
Outros ativos
10 anos
Os metodos de depreciacao, as vidas uteis e os valores residuais sao revistos a cada data de
balanco e ajustados caso seja apropriado.
j. Ativos intangiveis e agio
(i) Reconhecimento e mensuracao
Agio
O agio e mensurado pelo custo, deduzido das perdas acumuladas por reducao ao valor
recuperavel, quando aplicavel.
Softwares e demais intangiveis
Possuem vidas uteis finitas e sao mensurados pelo custo de aquisicao, deduzido da amortizacao
acumulada e quaisquer perdas acumuladas por reducao ao valor recuperavel, quando aplicavel.
Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.