Busca de Diários Oficiais


Diário PA - Justiça

TJPA - DIARIO DA JUSTICA - Edicao no 6780/2019 - Sexta-feira, 8 de Novembro de 2019

438

RECLAMANTE: CATARINA FERREIRA PINTO
ADVOGADO: NAPOLIS MORAES DA SILVA - OAB/PA No 8.314
RECLAMADO: COOPERATIVA DOS IRMAOS BOM PASTOR
Trata-se de execucao de titulo judicial, em que a parte Exequente instada a se manifestar sobre a
existencia de bens passiveis de penhora, em nome da parte executada, nao logrou exito, sendo realizadas
diversas diligencias, por este Juizo, dentre as quais, tentativas de penhora via BACENJUD, INFOJUD e
RENAJUD, como forma de aplicacao do principio da cooperacao, porem, todas as tentativas resultaram
infrutiferas. Nesse diapasao, entendo que deve ser aplicado, por analogia, o art. 53,  4o da Lei no
9.099/1995, que estabelece que nao sendo encontrados bens passiveis de penhora, o processo sera
imediatamente extinto. Acrescente-se, ainda, que o Enunciado no. 76 do FONAJE, expressa que
esgotados os meios de defesa e inexistindo bens para a garantia do debito, devera ser expedida, a pedido
da parte Exequente, certidao de divida para fins de inscricao no servico de Protecao ao Credito - SPC e
SERASA, sob pena de responsabilidade. Acrescenta-se, ainda, que a lide nao pode ser prolongada
indefinidamente, por onerar demasiadamente o Erario Publico, com movimentacoes infrutiferas do
aparelho judicial. Nesse sentido a jurisprudencia. JECCSP-0385340) Juizado Especial Civel - Agravo de
instrumento contra decisao que indeferiu pedido de pesquisa de bens, em decorrencia do previsto no art.
53,  4a, da Lei n. 9.099/95 - Dispositivo legal em comento que se aplica a execucao fundada em titulo
executivo judicial, nos termos do Enunciado 75 do Fonaje que ainda esclarece que a entrega de certisao
de credito ao exequente "como titulo para futura execucao" serve como salvaguarda aos direitos do credor
exequente. Cabe ao exequente, formular requerimento adequado e util ao impulsionamento do presente
cumprimento de sentenca - Nesse ponto, ressalto que a pesquisa de veiculos e imoveis pode ser feita pelo
exequente agravante, sem a intervencao do Judiciario - Devera o interessado formular requerimento
adequado a excussao patrimonial dos ativos indicados, cabendo a intervencao judicial somente nos casos
em que a informacao nao podera ser obtida pelo exequente pelos seus proprios meios, posto que sigilosa
e depois de esgotado as vias proprias - Recurso improvido - Sem condenacao ao pagamento das verbas
de sucumbencia. (Agravo de Instrumento no 0100050- 09.2019.8.26.9010, 3a Turma Recursal Civel dos
Juizados Especiais/SP, Rel. Miriana Maria Melhado Lima Maciel. j. 22.05.2019, Publ. 22.05.2019).
JECCDF-0080396) JUIZADO ESPECIAL CIVEL. PROCESSUAL CIVIL. EXECUCAO DE TITULO
JUDICIAL. INEXISTENCIA DE BENS. EXTINCAO SEM RESOLUCAO DO MERITO QUE NAO FAZ
COISA JULGADA. POSSIBILIDADE DE RETOMADA DA EXECUCAO. AUSENCIA DE PREJUIZO.
RECURSO CONHECIDO E NAO PROVIDO. 1. O recorrente insurge-se contra a sentenca que extinguiu o
pedido de cumprimento de sentenca, argumentando que o fundamento para extincao teria sido a ausencia
de patrimonio passivel de penhora. Defendeu que tais fundamentos nao poderiam levar a extincao do
processo, conforme entendimentos jurisprudenciais que colacionou ao seu recurso. Pediu a reforma da
sentenca para prosseguimento do cumprimento de sentenca no juizo de origem. 2. Sem razao o
recorrente. Conforme se ve da sentenca, a extincao sem merito ocorreu apos varias diligencias frustradas
para encontrar bens do devedor, aptos a liquidar o debito (IDs 5954350; 5954335; 5954323). Alem disso,
foram realizadas buscas infrutiferas no BACEN JUD e RENAJUD (ID 2235247). 3. A inexistencia de bens
passiveis de penhora autoriza a extincao do processo, nos moldes do artigo 53,  4o, da Lei no 9.0999/95.
4. A extincao do feito sem resolucao do merito nao faz coisa julgada material, uma vez que nao satisfeita a
obrigacao, de forma que nao impede o desarquivamento diante da possibilidade de localizacao de outros
bens para a execucao (art. 921,  3o, do CPC). 5. Reservando-se ao credor o direito de retomada do
processo de execucao quando puder, efetivamente, indicar bens a penhora para satisfacao do debito, nao
se verifica qualquer dano irreparavel ou de dificil reparacao na extincao do processo sem merito. 6.
Recurso do autor conhecido e nao provido. Sentenca mantida por seus proprios fundamento. 7. Custas, se
houver, pelo recorrente. Sem honorarios, porque nao houve contrarrazoes. Acordao lavrado na forma do
artigo 46 da Lei no 9.099/95. (Processo no 07004715020178070020 (1137335), 2a Turma Recursal dos
Juizados Especiais Civeis e Criminais/DF, Rel. Arnaldo Correa Silva. j. 14.11.2018, DJe 21.11.2018). No
presente caso, fora efetivado registro pelo DETRAN, por determinacao deste Juizo, para eventual busca e
apreensao, uma vez que, nao se tem noticias do paradeiro dos veiculos, um KADET ano de fabricacao
1994, cujo ultimo licenciamento ocorreu em 1997, constando registro de divida de R$ 12.599,70 de IPVA.
O outro uma moto HONDA/CB450-DX, ano de fabricacao 1990, ultimo licenciamento ocorrido em 2003,
constando registro de divida de R$ 270,08 de seguro, portanto, imprestaveis para garantir eventual
pagamento da divida, objeto da lide. Ressalto que e facultado ao credor retomar a execucao se houver


Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.