Busca de Diários Oficiais


Diário PA - Justiça

TJPA - DIARIO DA JUSTICA - Edicao no 6791/2019 - Terca-feira, 26 de Novembro de 2019

2340

A vitima AMANDA COSTA SANTANA esclareceu que:
[] Que conviveu com o acusado por um mes; Que a relaco era conflituosa por ciumes da parte dele e
por ambiente de trabalho por parte da declarante, tendo em vista que a mesma era funcionaria do
acusado; Que se conheceram no ambiente de trabalho; Que moraram juntos por um mes; Que no sabado,
20 de abril, foram para um jantar na casa de um amigo do acusado; Que por volta das 03:00h da
madrugada o reu estava bebendo e durante uma brincadeira perguntaram para a vitima ate quantos anos
a mesma queria viver, tendo a declarante respondido que queria viver ate os 30 anos; Que o amigo do reu
falou que a vitima estava desgostosa da vida por estar vivendo com o reu; Que o reu afirmou que no teria
problema, que chegando em casa ele mesmo poderia fazer o servico; Que essa conversa foi na
madrugada, do mesmo dia dos fatos; Que foi ate a cozinha falar com uma amiga e o reu achou que ela
estava mandando algum recado do amigo do acusado, o mesmo que fez a pergunta; Que o acusado foi
ate a cozinha e deu dois tapas no rosto da vitima; Que voltaram para o local onde os demais estavam;
Que a vitima no quis permanecer no local e foi para a sala; Que o acusado foi ate a sala pedir o celular
da vitima; Que a vitima no quis dar o celular; Que o amigo do reu, proprietario da residencia, se
aproximou e perguntou o que estava acontecendo, tendo a vitima relatado ao mesmo que tinha levado
dois tapas do acusado, na cozinha da residencia; Que o reu ficou bem alterado e deu mais um tapa na
vitima; Que o amigo do reu segurou a vitima; Que o amigo do acusado fechou o porto, deixando o
acusado para o lado de fora; Que pediu um celular para ligar para os seus familiares, pois queria ir
embora, mas ninguem da sua familia atendeu; Que o nome do proprietario da casa se chama Fabio; Que
alem do Fabio, estava Daniele e Marcelo; Que Fabio disse que se o acusado se acalmasse, deixaria ele
entrar; Que Daniele disse para a vitima que poderia ir para a casa dela; Que quando o acusado soube que
a vitima ia para a casa de Daniele, afirmou que ia queimar as roupas da vitima, as quais estavam em sua
casa; Que ficou em choque por ter sido agredida; Que foi para a casa de Daniele; Que ficou ligando,
ameacando, dizendo que estava queimando as coisas da vitima, dizendo que era para ela ir buscar
apenas as cinzas; Que a vitima afirmou que iria apenas de manh buscar suas coisas; Que ao chegar de
mototaxi no local, o acusado ja saiu da residencia agredindo a vitima com tapas; Que afirmou que
somente estaria la para buscar suas coisas; Que o acusado afirmou que as coisas ja estariam queimadas
no quintal; Que foi ate o quintal e no viu nada queimado; Que no encontrou suas coisas dentro da casa;
Que ao se deslocar para tentar falar com a dona do kit net que mora em cima, a mesma vinha descendo a
escada com o policial; Que nesse momento o acusado jogou alcool na vitima e riscou o isqueiro a
primeira vez; Que ao riscar a segunda vez, o policial tomou o isqueiro da mo do acusado; Que logo em
seguida o reu foi conduzido a delegacia de policia; Que o acusado chegou a lhe molhar com alcool liquido;
Que o acusado no conseguiu porque estava porre; Que uma vez jogou celular no peito da vitima; Que ja
havia empurrado a vitima, mas nunca havia dado tapas nela; Que teme pela sua vida caso ele seja solto
[...] (depoimento em juizo da vitima Amanda).
Ja o acusado, em seu interrogatorio, declarou que:
[] Que havia saido para a beira para beber; Que a vitima ligou para o acusado avisando que tinha
ido buscar a roupa dela; Que o acusado falou que tinha queimado toda a roupa, mas no havia queimado,
tinha escondido em baixo da cama; Que falou que tinha queimado para aborrecer a vitima; Que abriu a
casa e passaram discutir dentro de casa; Que a vitima foi ate o quintal procurar por suas roupas; Que ao
voltar, a vitima foi para cima do acusado e o agrediu, momento o qual o policial desceu na companhia da
dona Ana, perguntando o que estava acontecendo; Que se encaminhou para a dona Ana para explicar a
situaco; Que nesse momento o policial tirou o alcool de sua mo; Que o alcool era para queimar as
roupas; Que no queimou nada, que era apenas uma provocaco; Que chegou a gastar alcool; Que foi
espontaneamente a Depol; Que no dia que foi transferido, a vitima foi ate o local pedir desculpas, o beijou
e o abracou; Que no dia dos fatos a vitima foi ate a casa buscar suas coisas por volta de meio dia; Que
no dormiram juntos porque na noite anterior foram para casa de amigos; Que ficou chateado na noite
anterior e a vitima dormiu na casa de uma amiga; Que somente empurrou a vitima; Que foi embora para
casa; Que mandou mensagens para a vitima perguntando onde a mesma ia dormir; Que no sabe dizer
se molhou a vitima com alcool; Que estava com o isqueiro na mo; Que em nenhum momento jogou
alcool na vitima [...] (depoimento em juizo reu).
Portanto, ha claros indicios de que o autor praticou o crime de homicidio.


Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.