Busca de Diários Oficiais


Diário GO - TRE

Ano 2019, Numero 058 Goiania, segunda-feira, 1 de abril de 2019 Pagina 32
___________________________________________________________________________________________________________________________________
Diario da Justica Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral de Goias. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Publicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereco eletronico http://www.tse.jus.br  
Nesse sentido, a falha apontada na prestacao de contas e uma inconsistencia grave que compromete a regularidade das contas em seu 
conjunto, vejamos as seguintes jurisprudencias: 
ELEICOES 2014. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. PRESTACAO DE CONTAS DE CAMPANHA. PARTIDO. ABERTURA 
DE CONTA BANCARIA ESPECIFICA. OBRIGATORIEDADE. ART. 22 DA LEI No 9.504/97. AUSENCIA. NAO APRESENTACAO DE EXTRATOS 
BANCARIOS. VICIOS INSANAVEIS. CONTAS DESAPROVADAS. HIPOTESES DE NAO PRESTACAO DE CONTAS (ART. 54, IV, DA RESOLUCAO-TSE 
No 23.406/2014 C/C ART. 30, IV, DA LEI No 9.504/97). NAO CONFIGURACAO. DESPROVIMENTO.
1. As contas sao consideradas como nao prestadas quando o candidato/partido nao as apresentar no prazo legal e, apos devidamente 
notificado para tal providencia, dentro do prazo de 72 horas, permanecer inerte, merce de ausentes documentos essenciais que 
impossibilite, em absoluto, a analise dos recursos arrecadados e despesas realizadas durante todo o periodo de campanha, obstruindo a 
verificacao da existencia, ou nao, de arrecadacao e aplicacao de recursos na campanha eleitoral, porquanto ausentes elementos minimos 
para a formalizacao do processo de prestacao de contas.
2. In casu, nao se verifica hipotese que acarrete a ausencia da prestacao de contas, visto que a omissao na abertura de conta bancaria e, por 
consequencia, a nao apresentacao de extratos bancarios nao possuem forca para tornar inaptas as contas formalizadas pela agremiacao 
Agravada nem, consequentemente, para atrair o julgamento de nao prestacao, maxime porque nao se pode depreender do decisum 
objurgado a ausencia de documentos essenciais que inviabilize em absoluto a afericao da movimentacao financeira de campanha.
campanha consubstanciam vicios passiveis de rejeicao das contas (AgR-REspe no 222-86/AM, Rel. Min. Gilmar Mendes, DJe de 29.10.2015; 
AgR-AI no 1179-09/RJ, Rel. Min. Henrique Neves, DJe de 13.8.2014;AgR-AI no 328-08/AP, Rel. Min. Dias Toffoli, DJe de 20.11.2013; e AgR-AI 
no 14-78/PI, Rel. Min. Dias Toffoli, DJe de 21.10.2013).
4. Agravo regimental desprovido. 3. A ausencia de extratos bancarios e a nao abertura de conta bancaria especifica de
(Recurso Especial Eleitoral no 68560, Acordao, Relator(a) Min. Luiz Fux, Publicacao:  DJE - Diario de justica eletronico, Tomo  165, Data 
26/08/2016, Pagina 122-123)  (grifos nossos)
ELEICOES 2014. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. PRESTACAO DE CONTAS DE CAMPANHA. CANDIDATO. CARGO DE 
DEPUTADO ESTADUAL. DESAPROVACAO. FALHAS QUE COMPROMETEM A REGULARIDADE DAS CONTAS. ABERTURA DE CONTA BANCARIA 
ESPECIFICA. OBRIGATORIEDADE. ART. 22 DA LEI No 9.504/97. OBICE A ATUACAO FISCALIZADORA DA JUSTICA ELEITORAL. NAO VERIFICADO. 
REVOLVIMENTO DO ARCABOUCO FATICO-PROBATORIO. IMPOSSIBILIDADE. SUMULAS No 24 DO TSE E No 7 DO STJ. DECISAO MANTIDA POR 
SEUS PROPRIOS FUNDAMENTOS. DESPROVIMENTO.1. As contas de campanha cujas falhas detectadas impecam o efetivo controle dos 
gastos pela Justica Eleitoral devem ser desaprovadas.
2. In casu, o Tribunal a quo desaprovou as contas do candidato, por constatar que "a nao abertura de conta bancaria constitui irregularidade 
grave, uma vez que compromete a transparencia das contas em analise, bem como inviabiliza o efetivo controle por esta Justica 
Especializada sobre as receitas e despesas efetuadas, na medida em que nao ha como comprovar a ausencia de arrecadacao de recursos 
financeiros pelo candidato" (fls. 39).
3. A modificacao da conclusao exarada pela Corte Regional, a fim de acatar a alegacao do Ministerio Publico de que as contas devem ser 
consideradas nao prestadas, demanda necessariamente o reexame da materia fatico-probatoria dos autos, providencia que se revela 
inviavel na estreita via do recurso especial, ex vi dos Enunciados das Sumulas nos 24/TSE e 7/STJ.
4. A simples reiteracao de argumentos ja analisados na decisao agravada e o reforco de alguns pontos, sem que haja no agravo regimental 
qualquer elemento novo apto a infirma-la, atraem a incidencia do Enunciado da Sumula no 26 do TSE.
5. Agravo regimental desprovido. 
(Recurso Especial Eleitoral no 166913, Acordao, Relator(a) Min. Luiz Fux, Publicacao:  DJE - Diario de justica eletronico, Tomo  207, Data 
27/10/2016, Pagina 14-15)  (grifos nossos)
A irregularidade constatada pela analise tecnica afigura-se insanavel, em razao de que compromete o exame das contas, tendo em vista o 
nao cumprimento do disposto nos artigos 3o, inciso III, da Resolucao TSE no 23.553/17.
Diante do exposto, acolho o parecer tecnico conclusivo e o parecer do Ministerio Publico Eleitoral, e com fundamento no artigo 77, III, da 
Resolucao TSE no 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS CONTAS da Direcao Municipal do PARTIDO HUMANISTA DA SOLIDARIEDADE DE 
SENADOR CANEDO/GO, relativas as Eleicoes Gerais de 2018, e DECLARO a perda do direito a recebimento da quota do Fundo Partidario do 
ano seguinte ao do transito em julgado pelo periodo de 12 meses (artigo 77,  4o e 6o da Resolucao TSE no 23.553/2017).
Envie-se copia dos autos ao Ministerio Publico Eleitoral, nos termos do artigo 22,  4o, da Lei no 9.504/97, e artigo 84 da Resolucao TSE no 
23.553/2017.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Procedam-se os devidos registros nos sistemas eleitorais.
Transitada em julgado, arquive-se os presentes autos, com as formalidades de praxe.
Senador Canedo, 28 de marco de 2019.
Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.