Busca de Diários Oficiais


Diário RS - Legislativo

DIARIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Porto Alegre, sexta-feira, 8 de novembro de 2019.

PRO 137

Queremos votar favoravelmente nao so pela pertinencia desse projeto, mas tambem pelas
caracteristicas do mercado, por ele ser um simbolo cultural, por ser um patrimonio cultural, por ser um
patrimonio imaterial, que os homens e as mulheres, mercadeiros e mercadeiras, tornaram-se ao fazer a
historia do Mercado Publico.
Nao e so de cimento e de tijolos que o mercado e feito; ele e feito de muitas vidas, de muito
sacrificio, de muita resistencia e de muita capacidade de sobrevivencia. O Mercado Publico, ha seis anos, em
2013, sofreu o ultimo grande ataque, um incendio que o assolou. Mas, antes disso, ja havia resistido a
enchente de 1941 e aos incendios de 1912, 1972 e 1979.
Ha 150 anos, o Mercado Publico e testemunha da historia, e lugar de abrigo, de resistencia do povo
negro e do povo escravizado, e lugar da compra popular, e lugar de encontro, e lugar de referencia para o
preco e para a qualidade dos produtos, e lugar-simbolo da cidade de Porto Alegre.
Tenho certeza de que todos que viajam para fazer turismo pelo mundo, quando chegam na cidade
que visitam, perguntam onde e o mercado publico, porque querem ir ate la encontrar a cultura, a culinaria,
os simbolos daquele lugar que se quer conhecer e fruir.
O nosso mercado tem uma historia de resiliencia, de sobrevivencia, com alguns momentos
importantes, como a grande reforma que foi realizada ha alguns anos.
Infelizmente, deputado Luiz Marenco, os ataques sao uma historia premeditada, que sabemos
aonde vai dar. O governo Marchezan tem abandonado o mercado, apesar dos esforcos do governo Dilma,
que disponibilizou 19 milhoes de reais a partir do incendio.
A ultima noticia e que o governo municipal despreza os 9 milhoes de reais que ainda estao para
chegar, que ja deveriam ter sido investidos no mercado. O segundo andar ja poderia estar aberto se houvesse
vontade politica e competencia, que vem do amor a coisa publica, ao que pertence a todos, o que o prefeito
Marchezan nao tem.
O prefeito despreza o que e de todos, despreza a carreira publica, despreza a gestao do que e de
todos. Ele so tem um unico intuito na cidade de Porto Alegre, que e entregar para a iniciativa privada, para a
especulacao, a saude, a agua do DMAE, a iluminacao publica e tambem o nosso querido Mercado Publico,
que nao e um shopping center, que nao e um lugar simplesmente para ser explorado numa relacao
economica que despreza a historia de quem o construiu.
Olhem essas duas manchetes recentes: Os comerciantes entregam aos bombeiros o PPCI do
Mercado Publico. Nao hesitaram em contrair emprestimo no Banrisul e pagar com o esforco das familias.
Estao investindo no PPCI para o Mercado nao ser interditado pela irresponsabilidade do governo
Marchezan, que fez esse acordo no Ministerio Publico e continuou tocando os processos de privatizacao,
desrespeitando o esforco dos mercadeiros e mercadeiras de reabrir o mercado. E isso e real. Sao milhoes que
eles estao investindo la.
Por outro lado, manchete vinda da Prefeitura afirma que a empresa que faz a limpeza do mercado
paralisa as suas atividades, que e algo que eles vivem cotidianamente. Alem dos alugueis das bancas, os
mercadeiros tiram dinheiro do bolso mensalmente para garantir seguranca, limpeza, a substituicao de uma
chave que estraga, de uma telha que quebra, de uma lampada que precisa ser reposta, ja que o governo nao
so rompeu a parceria de gestao com os permissionarios, como embolsou o dinheiro que o mercado gera. A
lei do fundo diz que os recursos para reverter para o mercado foram para o caixa unico, deixando ele se
degradar para ter justificativa de privatizar.


Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.