Busca de Diários Oficiais


Diário PR - Assembleia

sporte se
difundiu em todas as camadas sociais. Em Paranagua, o futebol ganha forca e vigor
em 1913, quando foi fundado o Paranagua Foot-Ball Club, o Brazil Foot-Ball Club
e o nosso querido Rio Branco Sport Club, o Leao da Estradinha. A historia do
Rio Branco comecou no dia 12 de outubro de 1913, data comemorativa ao
descobrimento da America, tambem de Nossa Senhora Aparecida, alem de ser o
Dia das Criancas. Nesse dia, num bate-papo envolvendo algumas pessoas
importantes da cidade, surgiu a conversa sobre esse novo esporte, que era a grande
coqueluche do momento no Rio de Janeiro e Sao Paulo. Surgiria, entao, no dia
seguinte, outra reuniao, dia 13, e esta aconteceu na Casa Historica da Rua Marechal
Deodoro, no 22, na cidade de Paranagua. A ata lavrada por Raul da Costa Pinto foi
publicada no jornal Diario do Commercio - que ainda continua com suas paginas
em vigor nos dias de hoje - no dia 17 de outubro. A diretoria provisoria era composta
pelo Presidente Manoel Victor da Costa; Vice-Presidente Antonio Gomes de
Miranda; Secretario Jarbas Marques Mery Chichorro; e Tesoureiro Jose de Oliveira.
O nome Rio Branco Sport Club era uma justa e perfeita homenagem ao Barao do
Rio Branco, Jose Maria da Silva Paranhos Junior, e a seu pai, o Visconde do Rio

Assembleia Legislativa

Branco, Jose Maria da Silva Paranhos, considerados irmaos limpos e puros pela
sociedade parnanguara. Da fundacao ate o primeiro jogo transcorreram mais de 30
dias, acontecendo no dia 23 de novembro, na praca Pires Pardinho, tambem
conhecida por Campo Grande. O primeiro jogo contra equipe de fora aconteceu no
dia 6 de janeiro de 1914, enfrentando o America aqui de Curitiba. Sabendo que o
America tinha se reforcado com jogadores de outras equipes da capital, o Rio Branco
tambem pediu ajuda a dois clubes de Paranagua: ao Brazil e ao Paranagua. O grande
goleador daquela partida foi Quinquim, com tres gols, sendo um deles anulado
porque o juiz declarou que estava off-side. O jogo terminou com a vitoria do Rio
Branco por 2 x 1. A curiosidade desse jogo, Deputado Alceu, e que mesmo em
janeiro - e naquele verao tradicionalmente quente de Paranagua - o Rio Branco
jogou de calcas compridas, cinta em couro, camisa de la de mangas compridas e
gola, nas cores listradas vermelha e branca. Esse uniforme foi um presente oferecido
por um dos socios do clube, mandado confeccionar na Alemanha especialmente
para esse jogo. No mes de junho de 1914, o clube iniciou seus trabalhos para a
construcao do proprio campo. Os socios organizaram quermesses, saraus, bailes e
ate pecas de teatro, concorrendo para aumentar os recursos para a construcao do
campo. O Prefeito, depois Governador da Provincia, Presidente da Provincia, Dr.
Caetano Munhoz da Rocha, outorgou ao clube uma area nas redondezas da praca
Joao Gualberto; foram seis meses de trabalho para deixar o campo em condicoes
de jogo para a pratica do esporte. Ate vagoes de madeira foram doados para a
construcao das primeiras arquibancadas. E de novo o America foi chamado para o
confronto; recusou. Foi montado entao um time extra, montado em Curitiba por
um selecionado para a inauguracao do campo. Resultado: de novo foi Rio Branco,
2 x 1. O clube ficou dez anos nesse espaco. Quando entao o Presidente da Provincia,
Dr. Caetano Munhoz da Rocha, informou o Prefeito da cidade, Coronel Jose
Goncalves Lobo, que a cidade precisaria doar um terreno para a construcao da
escola normal - hoje Instituto de Educacao Dr. Caetano Munhoz da Rocha - a area
definida para a construcao da escola normal ficava em frente aos fundos da
arquibancada do campo do Rio Branco, e isso desagradou as autoridades da epoca.
Vejam como era interessante o costume daquele momento: as autoridades
consideraram inadequada uma escola normal, voltada para as meninas, ficar de
fundos para a arquibancada de jogo de futebol, tradicionalmente praticado pelos
meninos. Ai, uma reuniao entre a Prefeitura de Paranagua e os Diretores do Rio
Branco, decidiu que realmente era inadequada aquela condicao e que o clube
precisaria, em prol do beneficio da escola normal, mudar o seu campo de futebol.
A Prefeitura doaria o terreno e ajudaria na mudanca da arquibancada que estava
construida. A doacao do terreno aconteceu, efetivamente, na gestao do Prefeito
Francisco Accioly Rodrigues da Costa, que tambem doou a importancia de 2 contos
de reis para a mudanca necessaria do Estadio Nelson Medrado Dias. Hoje o estadio
se encontra no mesmo lugar que foi doado o terreno, em 1924, e o nome do estadio
homenageia o Presidente do clube da epoca, Nelson Medrado Dias. Em sua gestao
teve inicio o projeto de construcao do novo campo, tendo concorrido o prazo
aproximadamente de seis meses para arrecadacao de fundos e para as obras que
comecaram em 1925. O caderno O Correio Esportivo, do jornal Correio do Parana,
em 23.10.1935, noticiou a excursao do Ferroviario de Curitiba para a cidade de
Paranagua, enfrentando o Rio Branco em seu estadio remodelado, com a finalidade
de arrecadar fundos para a Santa Casa de Misericordia da cidade. Destaca-se o
objetivo nobre da peleia, que era arrecadar fundos para a Santa Casa, que atendia
os doentes da regiao de forma gratuita e que passava por dificuldades financeiras.
Alem desses, muitos outros jogos beneficentes foram realizados naquela praca
esportiva, para levantar recursos para enfrentar as epidemias e surtos de doencas
do inicio do seculo XX. Nao so em Paranagua, mas tambem na cidade de Curitiba
e no interior do Estado do Parana. Alias, nessa primeira metade do seculo XX,
varias partidas importantes tambem foram realizadas em Paranagua, com times do
Rio de Janeiro e de Sao Paulo, como Flamengo, Fluminense, Botafogo e Santos,
com Pele, que tambem jogou em Paranagua. O Leao da Estradinha, alcunha dada
pelo seu espirito de luta aguerrida em campo, fez partidas memoraveis. E
Importante: Todos os documentos armazenados para fins de busca e exibição no Radar Oficial são documentos de conhecimento público e disponibilizados por fontes oficiais em seus sites originais.